domingo, 22 de agosto de 2021

Teste de Chama

 

TEMA: Curiosidades da Química

Título: Teste de Chama

Série: 1°EM

Professora: Juliana A. Peixoto

 

O teste consiste na utilização de sais metálicos submetidos ao calor. É a explicação das diversas cores dos fogos de artifícios que encantam todos gerando uma explosão de curiosidades, que parece mágica! Como conseguimos visualizar a combinação de cores? Isso é química! Vamos entender o que acontece para formar algo tão extraordinário de se ver.

Toda matéria é constituída de átomos, e os quais são formados por prótons, nêutrons e elétrons. Esse teste movimenta-se os elétrons, realizando o deslocamento para uma órbita mais externa, absorvendo calor, mas quando volta a sua órbita de origem, ocorre a emissão, e visualizamos uma cor diferente, dependendo do sal utilizado. Pois cada sal absorve uma quantidade de energia específica, sendo emitida em comprimentos de ondas diferentes.

Para explicar os espectros descontínuos, o físico Niels Bohr - Prêmio Nobel de Física de 1922 - precisou introduzir uma teoria revolucionária que pode ser resumida em quatro tópicos:

- Os elétrons giram ao redor do núcleo em órbitas circulares e mantêm velocidade constante. A energia associada ao seu movimento também permanece constante. Somente algumas órbitas são possíveis, isto é, o elétron pode ter certas quantidades de energias associadas aos seus movimentos.

- Quando um elétron muda de órbita, ocorre a absorção ou emissão de uma quantidade de energia:

 

 


    

- As diferenças entre as energias das órbitas possíveis correspondem às linhas espectrais (cores) emitidas pelo átomo.

                                


- Os elétrons ocupam as órbitas menos energéticas (estado fundamental), ou seja, mais estáveis. O processo de emissão de luz é denominado transição eletrônica.

 Esses tópicos explicam o modelo atômico de Bohr (1913) que é denominado modelo atômico de Rutherford-Bohr.

As cores dos fogos de artifícios são produzidas a partir de dois fenômenos, a incandescência e a luminescência.

A incandescência é a luz produzida pelo aquecimento de substâncias. Emite radiação infravermelha, que vai se modificando até se tornar a radiação visível, dependendo da temperatura que atingir. Se destaca nos fogos de artifícios quando são utilizados metais como alumínio e magnésio, que ao se queimarem produzem alta claridade.

A luminescência é a luz produzida a partir da emissão de energia, na forma de luz, por um elétron excitado, que volta para o nível de energia menos energético de um átomo, comentado anteriormente.

 

 


domingo, 4 de julho de 2021

Atividade artística sobre tipos de pinturas e vocabulário em inglês

 

TEMA: Paintings

TÍTULO: Atividade artística sobre tipos de pinturas e vocabulário em inglês

SÉRIE: 8º ano A do Ensino Fundamental II

Professor responsável pela atividade: Dâmaris Reis

Nome dos alunos participantes: Todos os alunos da turma participaram da atividade.

 

Texto explicativo:

No dia 24/06 os alunos do 8ºA do Colégio Gandolfi participaram de uma atividade artística sobre tipos de pintura. Aprendemos na apostila do Etapa vocabulário sobre tipos de pintura em inglês, sendo eles Abstract (abstrato), Landscape (paisagem), Portrait (retrato) e Self-portrait (auto-retrato).

Para realizar a atividade, os alunos utilizaram de recursos de pesquisa no celular ou computador para pesquisar uma obra de arte que se encaixava em uma dessas categorias e eles deveriam tentar reproduzir esta pintura em uma folha sufite.

Os alunos se engajaram bastante e tiveram uma ótima participação.














quinta-feira, 1 de julho de 2021

TEXTO SOBRE O TRABALHO DE RELEITURA DE OBRAS RENASCENTISTAS

 

Tema: RELEITURA DE OBRAS RENASCENTISTAS

Título: A história da arte: diálogos entre o presente e o passado.

Série: 3ºA – EM.

Professores responsáveis: Professora Vitória

Alunos participantes: Isabela Xavier e Rafaela Santos

 

Como a História é uma ciência que estuda o tempo e o espaço, os historiadores – a fim de facilitar sua análise – a dividiu em períodos, agrupados conforme as características comuns de cada era.

Desse modo, após o surgimento da escrita, temos a História Antiga, com início aproximadamente no século V a.C., até o século V d.C. Este período, foi marcado pelo esplendor das civilizações grega e romana, que juntas formam o que chamamos de cultura clássica. O século V ao século XV d.C., compreende o que chamamos de Idade Média, período marcado pelo feudalismo e uma sociedade teocentrista, com Deus e a religião no centro do pensamento humano.

A partir do século XV, há uma efervescência artística e intelectual que surge com o reaparecimento das cidades, após o declínio do regime feudal, que marca o início de um novo período, chamado Idade Moderna. Neste período, ocorrem importantes transformações na sociedade, como a passagem do teocentrismo para o antropocentrismo (ser humano no centro de tudo) e o surgimento de um movimento artístico e cultural, que teve início na Itália e ficou conhecido como Renascimento, por buscar retomar aspectos da cultura clássica da Antiguidade no que diz respeito à arte, literatura, filosofia e ciência.

Com base nisso e nos conteúdos da apostila 1, a proposta deste trabalho foi possibilitar que os alunos do 3º ano do Ensino Médio realizassem um pesquisa sobre grandes artistas renascentistas e ainda, que realizassem uma releitura de obras desse período.


A aluna Rafaela Santos, inspirada na obra de Sandro Botticelli (1445-1510), pintor italiano, grande referência do Renascimento artístico Italiano, realizou uma releitura de “O Nascimento de Vênus” (1483), utilizando um desenho de sua autoria, com aspectos tecnológicos da cultura contemporânea, como o smartphone.

 


A aluna Isabela Xavier revelou em seus traços aspectos inspirados na obra de autores renascentistas como da obra de Rafael Sanzio (1483-1520). Abaixo, uma imagem da obra “Maddalena, Doni” (1506).



 

 

 

 

 

 

 



E em releitura o desenho que a aluna Isabela realizou, juntamente com outro de sua autoria.




 

Por fim, o trabalho possibilitou que os alunos analisassem os diálogos que é possível realizar entre o passado e o presente, em relação a arte.

 

terça-feira, 1 de junho de 2021

 Tema: Curiosidades da Química

Título: Desvendando os mistérios da PIPOCA
Série: 3°EM
Professora responsável pela atividade: Juliana de Andrade Peixoto
Aluno: Guilherme Henrique Masson Montes





















segunda-feira, 24 de maio de 2021

Contra o C / Contra o V

 Contra o C / Contra o V

Diante do cenário atual em que a aula convencional, àquela que conhecíamos, perdeu todo o seu sentido, é de extrema necessidade que a escola se reformule, desde a entrada do aluno até a sua saída, mas é na sala de aula que percebemos as maiores mudanças, até porque a sala de aula em alguns momentos nem existe mais. Não da forma como era.

 Abordar o conteúdo de forma que o aluno o consiga visualizá-lo fora do contexto escolar, durante o seu dia a dia facilita muito a sua compreensão. Além disso, faz com que ele, o estudante, entenda a importância daquilo que é trabalhado na escola. E em algumas situações fazendo os perceber as variantes em que os assuntos podem ser aplicados e assim alargar as suas opções para o vestibular, que ainda é o crivo acadêmico que eles irão enfrentar.

Fazer o aluno, estudante abrir os olhos para o mundo de oportunidades que o cerca e ainda possibilitar que ele se prepare adequadamente para o vestibular e/ou ENEM é um dos papéis que hoje está atribuído ao professor.

Pensando dessa forma as aulas de Biologia do ensino médio, no Colégio Gandolfi, sofreram um “F5”, ou seja, estão atendendo às atualizações que todo esse movimento, chamado (educação) exige. No 2.º ano do ensino médio os alunos acompanhando o conteúdo programático, proposto pelo excelente material utilizado nessa escola, o Sistema Etapa, estão trabalhando em fisiologia o sistema nervoso, mais especificadamente os órgãos sensoriais, ou sistema sensorial.

O protagonismo do aluno e o estímulo à pesquisa ocorreu quando a ideia de apresentarem esse assunto, para eles mesmos, em forma de seminário / aula invertida foi apresentada por mim, professor Heitor Dias.

Orientá-los, motivá-los, avaliá-los e admirá-los foram alguns dos verbos que pude conjugar ao observá-los no desenvolvimento desse exercício.

Colocar o aluno como protagonista e deixar com ele perceba a importância do seu papel no contexto escolar e na sociedade, vai fazer com que ele possa, ao menos experimentar, o que é sair da zona de conforto e o quanto esse “desconforto” pode ampliar o seu horizonte.

Ir no caminho contrário do copiar e colar, ir contra o CTRL C / CTRL V, é resgatar, no meio de toda essa modernidade algo que lá atrás era a essência dos bons resultados, a pesquisa. Que a final, move a ciência.



quinta-feira, 20 de maio de 2021

Conotação nas músicas

 

Tema: Sentido conotativo e denotativo das palavras

Título: Conotação nas músicas

Série: 9° anos A e B do Ensino Fundamental II.

Professor responsável pela atividade: Lorenna Fornel

 

Texto explicativo:

Nas aulas de Texto e Gramática, estudamos sobre o sentido conotativo e denotativo das palavras, conceitos fundamentais para a compreensão de textos. Entendemos que a denotação se refere ao sentido literal de uma palavra, aquele que geralmente encontramos no dicionário, enquanto a conotação se refere ao sentido figurado de um termo ou expressão e que adquire sentido de acordo com o contexto. Durante nossas aulas, analisamos diversos enunciados que apresentavam o uso de expressões conotativas, e então começamos a perceber que algumas músicas que conhecemos fazem uso deste sentido. A partir desta análise, pesquisamos letras de canções que usam a conotação como um recurso de sentido e, a seguir, destacamos os trechos que evidenciam a linguagem conotativa. Deixamos também nossa playlist no Spotify com músicas que apresentam conotação. Aproveite!

 

<iframe src="https://open.spotify.com/embed/playlist/2blEkUmJNtoeYXlWTdsQcz" width="300" height="380" frameborder="0" allowtransparency="true" allow="encrypted-media"></iframe>

 

https://open.spotify.com/playlist/2blEkUmJNtoeYXlWTdsQcz?si=832c95512b5b48c3







quarta-feira, 19 de maio de 2021

Realidade aumenta no ensino de química

 Tema: Química orgânica

Título: Realidade aumenta no ensino de química

Série: 2°EM

Professor: Caio Carboni

Nome dos alunos: A sala toda

Com o auxílio de um celular podemos utilizar a realidade aumentada para visualizar as moléculas em 3 dimensões, isso nos proporciona uma visão completa da molécula permitindo que o aluno consiga diferenciar os compostos denominados isômeros geométricos.












segunda-feira, 17 de maio de 2021

A vida através da biologia

 

Tema: “Biologia: a vida em suas mais variadas formas”

Título: A vida através da biologia

Aluno: Caio Castro Andrade (texto)                                     Série: 6° A

           Maria Beatriz Vilas Boas Figueiredo Lopes (fotos)             6° A

Professora: Laura Segismundo Coelho

 

Hoje vou falar um pouco das aulas de Biologia e do que eu e meus amigos aprendemos com a Laura, nossa professora de biologia que em pouco tempo ensinou muito para nós, e tenho certeza de que ao longo do ano vamos aprender mais ainda.

Na nossa primeira aula nós apresentamos e falamos um pouco sobre os seres vivos e suas principais características que permitem serem classificados como seres vivos, tais como a respiração, reprodução, crescimento e locomoção. Depois, aprendemos um pouco sobre os níveis de organização da vida na natureza, como por exemplo: as células formam os tecidos, que compõem os órgãos que vão constituir os sistemas e daí gerar um organismo.

Na terceira aula aprendemos sobre as células, quais são as suas funções e do que são compostas, por exemplo: a parte da célula que controla a entrada e a saída das substâncias é a membrana plasmática, o núcleo faz o armazenamento do nosso DNA e controla toda a atividade celular, e por último o citoplasma, que é uma substância gelatinosa e transparente que preenche o espaço entre o núcleo e a membrana plasmática e contém várias organelas espalhadas que ajudam a manter a célula viva e funcionando bem. Descobrimos que existem vários microscópios diferentes que são utilizados para diferentes objetivos e sem eles não teríamos como ter o conhecimento que se tem hoje sobre as células e outros microrganismos.

Em outra aula vimos os seres unicelulares, que só possuem uma célula eles são como aquela massinha melequenta, e podem viver em vários lugares diferentes, até mesmo na água alguns são tão pequenos que só conseguimos ver pelo microscópio, outros podem medir até um centímetro, mas mesmo assim é muito difícil de vê-los, isso foi legal para entendermos as diferentes formas dos seres vivos que existem no nosso planeta.

Para me entender sobre as características dos seres vivos, em uma das aulas descascamos um feijãozinho para ver como ele é por dentro. Vimos o hilo que é o local onde começa aparecer a raiz e vimos o embrião, o responsável pela formação de uma nova planta, e para a lição de casa nós tivemos que plantar um feijão e acompanhar o crescimento dele, que é uma das principais características dos seres vivos, o crescimento.

Nessa atividade, cada aluno plantou um feijão em sua casa, pode ser na terra ou no algodão, em um copinho ou em um vaso maior. A cada dois dias, nós tivemos que anotar os que a gente observou de diferente no feijão em relação ao dia anterior e medir sua altura. Além das anotações, tivemos que tirar fotos das diferentes fases do desenvolvimento do feijão como: formação do broto, aparecimento de folhas, crescimento da planta e largura do caule, por exemplo.




           Essa atividade foi muito legal para a gente poder entender melhor como os seres vivos podem ser tão diferentes e possuir tantas características em comum, por exemplo, nós humano, crescemos, respiramos, movimentamos e essas mesmas caraterísticas também aparecem nas plantas como vimos no feijão, que cresceu e para isso ele precisou respirar também. A Biologia mostrou que a vida na terra pode estar presente nas mais variadas formas e temos que saber respeitar todas elas para viver em harmonia com a natureza.


quarta-feira, 12 de maio de 2021

Competição em forma de imagem e ação sobre instrumentos musicais

 

TEMA: Musical instruments

TÍTULO: Competição em forma de imagem e ação sobre instrumentos musicais

SÉRIE: 6º ano A do Ensino Fundamental II

Professor responsável pela atividade: Dâmaris Reis

Nome dos alunos participantes: Todos os alunos da turma participaram da atividade.

                            

Texto explicativo:

No dia 04/05 os alunos do 6ºA do Colégio Gandolfi participaram de uma atividade interativa em forma de imagem e ação, no qual os alunos, que foram separados em três grupos sendo dois presencialmente e um dos alunos em modo remoto, escolhiam um participante para desenhar o instrumento selecionado pela professora enquanto os outros integrantes do grupo deveriam adivinhar qual o instrumento e dizer seu nome em inglês. Após duas rodadas, os times estavam empatados e a professora fez uma rodada relâmpago para desempatar. O time C, dos alunos em modo remoto, ganhou a competição.






terça-feira, 4 de maio de 2021

Galileu e o modelo heliocêntrico

 

Tema da aula: Galileu e o modelo heliocêntrico

Professor Responsável pela atividade: Márcio 

 Turma 6° ano A

Galileu foi físico, matemático e astrônomo.

Nasceu em Pisa, em 1564.

Foi proposto à turma um filme em forma de desenho animado, em que foi contada toda a trajetória de Galileu.

O filme falava sobre a luta de Galileu em levantar provas contra o modelo geocêntrico de Aristarco e a luta contra a Igreja, que defendia ferrenhamente o geocentrismo.

Galileu era muito respeitado por todos por ser um excelente profissional, durante suas aulas de astronomia ele defendeu o Heliocentrismo diante de seus alunos e chegou a perder o seu próprio emprego, pois ele não tinha meios de derrubar as teorias de Aristarco.

Mas nunca desistiu de seus ideais, e quando ficou sabendo da invenção de uma luneta, foi logo à procura do inventor que era oculista e logo comprou uma. Aos poucos ele a aperfeiçoou, e quando conseguiu ver a lua, começou a levantar provas mais consistentes.

A Igreja o condenou a ficar preso em sua própria casa pelo resto de sua vida, mesmo assim, com a ajuda de um discípulo, ele continuou as pesquisas e só muitos séculos depois de sua morte sua teoria foi aceita.

No final fizemos uma roda de conversa sobre o assunto e os alunos gostaram muito da conclusão.